Loading...
Mídia

O MAPA DA MINA DA BOSSA NOVA

Sugiro que quando você voltar ao Rio de Janeiro, se permita fazer um roteiro um pouco diferente. O Rio é muito mais do que Copacabana, Ipanema, Corcovado e o Pão de Açúcar. Ele é a cara, o corpo, o jeito e, por que não dizer, a cidade da Bossa Nova.

Sugiro que você faça, assim como eu já fiz algumas vezes, o roteiro da Bossa Nova acompanhado de um aliado muito especial debaixo do braço, apesar do peso e do tamanho. É importante levar com você o livro “Rio Bossa Nova – Um Roteiro Lítero-Musical”, do jornalista Ruy Castro, lançado pela Editora Casa da Palavra (numa reedição atualizada e bem mais completa daquela original lançada em 2006). Um verdadeiro “Mapa da Mina”, com vários segredos revelados.

Experimente olhar para a janela da sala do prédio de Nara Leão, na Avenida Atlântica, em Copacabana, onde ali aconteceram os grandes encontros dos amigos da Bossa, caminhar em Ipanema e parar em frente ao prédio da Rua Nascimento Silva no. 107, onde Tom Jobim morou por muitos anos e lá compôs várias das suas belas e inspiradas canções, e também, caminhar pelo Beco das Garrafas, visitando o Bottle’s Bar, o Little Club, sentar no Bar onde Tom e Vinícius avistaram a Garota de Ipanema e se inspiraram para compor a mais famosa canção da música brasileira. E também ver o pôr do sol na Ponta do Arpoador, ver a estátua de Tom Jobim e depois tomar um drink no Copacabana Palace. Que tal ?

Posso dizer que é uma experiência única e inesquecível. Sentir na pele e poder enxergar com os meus olhos todos os detalhes possíveis de uma geografia musical que faz parte da minha história de vida, não tem preço.
Muito bem organizado por bairros, o guia percorre todos os cantos da cidade, sugerindo endereços no Centro, Leblon, Ipanema, Copacabana, Lapa, Tijuca, Flamengo, Urca, Lagoa, Jardim Botânico, Gávea, Alto da Boa Vista, Barra, São Conrado, Leme, Arpoador e até na Ilha do Governador.

Como se trata de uma verdadeira radiografia do “Rio Bossa Nova”, o guia facilita a escolha do leitor, que poderá decidir por conta própria, o roteiro de acordo com o seu interesse.
Você vai poder também se deliciar com incríveis histórias contadas por quem entende do assunto e que é conhecido como uma das maiores autoridades sobre a Bossa Nova. Além da pesquisa sobre lugares com as informações mais importantes são oferecidas pelo autor algumas deliciosas histórias (não todas, é claro) daqueles locais mencionados.

E o mais legal é que os outros segredos você terá que descobrir por conta própria, de acordo com as suas andanças pela cidade.
Recomendo que você faça esta experiência sensorial, capaz de reunir os 5 sentidos.

Vai fazer bem para a alma e para o coração, posso garantir.


No Olho da Rua – “Samba-Jazz 40 graus”

Ouvi a primeira vez o grupo “No Olho da Rua” por indicação do amigo Carlos Alberto Afonso, proprietário da “Toca do Vinicius”, local abençoado pelos acordes da Bossa Nova, no coração do bairro de Ipanema, no Rio de Janeiro.

Este CD, totalmente financiado pelo patrocínio dos amigos (o 6º. da carreira do grupo), foi idealizado por Ruy Castro, uma das maiores autoridades da Bossa Nova do planeta, que teve a ideia do CD conceitual e foi o responsável pela escolha do repertório.
E como ele bem escreveu na contracapa: “é uma viagem do No Olho da Rua aos anos 60, em que as boates do Beco das Garrafas ferviam a essa temperatura e o samba-jazz era o braço armado da Bossa Nova”.

E a capa do CD também presta uma homenagem a César Vilela, criador das capas do selo Elenco, que viraram marcas registradas da Bossa Nova.
O grupo é formado por Paulo Rego no sax e flauta, Nito Lima no violão e guitarra, Eduardo Henrique no piano, Gustavo Schnaider na bateria e Rodrigo Ferreira no contrabaixo.

Destaco os temas “Samba de Rei”, “Alegria de Viver”, “Quintessência”, “Estamos Aí”, “Eu e a Brisa” (num duo emocionante de sax e guitarra), “Rio” (apresentado num arranjo muito criativo), “The Red Blouse” e o clássico do jazz “The Blues Walk”, revisitado numa levada com muita Bossa.
Os caras deram conta do recado. Este CD tornou-se o meu preferido do grupo.

Tivemos a honra de trazer o grupo numa das edições do Rio Santos Bossa Fest, no ano de 2016, num belíssimo show que eles fizeram no Teatro Guarany, ao lado da cantora Cris Delanno. Foi um show maravilhoso e cheio de bossa!

 


Paulo Rego – “Compor”

O saxofonista, flautista, compositor e arranjador carioca Paulo Rego lançou em 2013 seu primeiro trabalho solo de forma independente, apresentando inspirados arranjos e composições autorais.

O instrumentista lidera o grupo “No Olho da Rua”, que já tem vários discos lançados e que se destaca principalmente pelas apresentações ao ar livre, sempre muito democráticas, preferencialmente realizadas nas praias de Ipanema, Copacabana e Leblon na cidade do Rio de Janeiro.
Gravado nos estúdios do selo Biscoito Fino, o CD traz 10 faixas e contou com o acompanhamento de seus grandes parceiros, com destaque para Eduardo Henrique no piano, Pedro Franco no violão e guitarra, Rodrigo Ferreira no contrabaixo e Xande Figueiredo na bateria, além das participações especiais do “mestre” Guinga no violão, Geraldo Costa no trombone, José Arimatéia no flugelhorn, Julio Merlino no sax tenor.

Pedro Bittencourt, Luciano Corrêa no violoncelo e Felipe Ventura no violino.
Destaco os temas: “Pra Maria Sorrir”, “Café com Guinga” (que contou com a participação do homenageado), “Clube do Edu”, “Das Esferas”, “Maresia” e a faixa título “Compor”.

Um CD muito bonito e diversificado pelos ritmos e influências, e que deixa claras as marcas de expressão deste músico que possui uma excelente formação musical.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja Também