Loading...
Mídia

RIO SANTOS BOSSA FEST 2019

O Rio Santos Bossa Fest 2019 vem aí! Apesar de todas as dificuldades, vamos entregar para a cidade de Santos, um Festival com diversas atrações, shows, exibições de filmes e exposições de fotos, totalmente gratuitas, entre os dias 18 e 27 de janeiro.

Serão 6 sedes: Pinacoteca Benedicto Calixto, Teatro Coliseu, Comedoria do Sesc Santos, Shopping Parque Balneário, Espaço Arte Café e Colégio Universitas.
A cidade de Santos vai se transformar novamente na capital da Bossa Nova no Brasil no período de realização do festival, desde a promulgação da Lei Municipal no. 2.972 de 14/03/2014, que incluiu no Calendário Oficial do Município de Santos, a “Semana da Bossa Nova”, proposta pelo amigo e ex Vereador Douglas Gonçalves, atendendo a nossa solicitação.

Vamos comemorar pelo sexto ano consecutivo o Dia Nacional e Municipal da Bossa Nova em 25/01/19 e também no mesmo dia, o aniversário de nascimento de Tom Jobim, nosso eterno Maestro Soberano.

Nos palcos: Simone Ancelmo & Thais Ribeiro, Roberto Soares & Theo Cancello, Trio Aruê, Nós: desatando histórias, By Night Trio, Sebastian Rot, Fábio Salgado & Lisete Capelleto, Som de Lis, Julia Ferreira & Banda, Bruno De La Rosa e também Zé Luiz Mazziotti & Bruno Conde.

Teremos também duas exposições com as fotos das edições anteriores do festival da fotógrafa Kelly Petraglia, uma no Espaço Cultural da Pinacoteca Benedicto Calixto e outra no Espaço Arte Café, localizado no calçadão da Rua XV no Centro Histórico.

Além da exibição de diversos filmes e shows sobre o tema Bossa Nova, que serão exibidos em diversos dias e horários no Espaço Cultural da Pinacoteca Benedicto Calixto.
O link social do festival será materializado com a participação do Conjunto de Violões do Projeto Esculpir, formado por crianças que vivem em situação de risco na área do Mercado Municipal e do Projeto Música Transformando Vidas – Promuvi, orquestra formada por pessoas com deficiência visual adquirida, total e parcial. Eles se apresentarão no dia do aniversário da cidade de Santos, 26 de janeiro, no palco do Shopping Parque Balneário.

Agradecimentos especiais a Prefeitura de Santos – Secult, Sesc Santos, Fundação Benedicto Calixto, Shopping Parque Balneário, Jornal da Orla, Litoral FM, Colégio Universitas e Espaço Arte Café. E também Anseven, Storebits, Marina Menezes Moda Feminina, Doin Motors, Pap’Sport, Engeplus Construtora, Optima Comunicação, Foto Louzada, Central de Fretes, Associação dos Artistas, Toledo Corretora de Seguros, Novotel, SDY Arquitetura e apoio institucional da Costa da Mata Atlântica e Digital Jazz.

Agradecimentos especiais também pelo apoio dos Vereadores Rui de Rosis e Geonísio Pereira, que propuseram emendas parlamentares para o festival.
E um registro de destaque para o meu prezado amigo e ex Secretário de Cultura, Carlos Pinto, pelo apoio incondicional de sempre. Gratidão!
A Bossa Nova trazendo boas vibrações para a cidade de Santos no início de 2019! Viva a Bossa Nova!

 


Celso Fonseca – “Like Nice”

O cantor, guitarrista, violonista, produtor e compositor carioca Celso Fonseca lançou, no final de 2015, este belíssimo CD pelo selo, Universal Music, aqui no Brasil e em diversos países: Inglaterra, Holanda, Itália, Espanha, Portugal, Bélgica, Áustria, Suécia, Noruega, Dinamarca, Finlândia, Suíça, Israel, África do Sul, Nova Zelândia, Austrália, Japão e Argentina.

A sonoridade das faixas é surpreendente e reforça que a Bossa Nova continua sendo composta e produzida com absoluta inspiração e encantamento nos dias de hoje. Mais uma prova contundente de que a Bossa não é coisa do passado e sim do presente.

E Celso Fonseca já havia feito isso anos atrás, no ano de 2001, quando lançou “Juventude/ Slow Motion Bossa Nova”, outro CD clássico da Bossa contemporânea. “Like Nice” é um trabalho impecável, de extremo bom gosto que traz 13 faixas autorais, sendo 8 como autor único, 4 em parceria com seu grande amigo de longa data, Ronaldo Bastos, e uma versão internacional.

Ele dá um verdadeiro show de interpretação com seu violão, com uma batida forte e envolvente, num diálogo “bossanovista” de emocionar.
Merecem destaque os belíssimos arranjos de cordas que contaram com a regência Eduardo Souto Neto e também os arranjos de metais que contaram com a regência de Jessé Sadoc, presentes em todas as faixas, além das participações especiais de Marcos Valle no piano elétrico Rhodes e Rildo Hora na harmônica. E, mais, Jorge Helder no contrabaixo, Jorjão Barreto no piano e piano elétrico Rhodes, Robertinho Silva e Junior Moraes na percussão e Flavio Santos na bateria.

Não deixe de ouvir a bonita versão do clássico “Stormy” e mais “O Que Vai Sobrar”, “Porque Era Você”, “I Could Have Danced”, “Canção Que Vem”, “Céu”, “Zum Zum”, a faixa título “Like Nice” e, a minha preferida, a instrumental “Rio 56”, que é uma verdadeira viagem. Magnífica composição.

Fica uma dica: escute o CD para relaxar, namorar, sonhar e viver. A Bossa Nova e sua poesia vão ser companhias muito especiais e inspiradoras. Um disco que merece ser ouvido com muita calma e atenção.

 


Wanda Sá – “Cá Entre Nós”

Em grande estilo e recebendo vários convidados especiais, na verdade amigos do coração, a cantora e violonista paulistana de alma carioca, Wanda Sá, lançou em 2016 pelo selo carioca Fina Flor, um disco com 11 faixas, produzido por ela mesma e que contou com a direção de produção de Regina Oreiro.

Ela é considerada como uma das pioneiras da Bossa Nova e acompanha o movimento desde o seu início, quando tinha apenas 16 anos. Primeiro, como fã de carteirinha dos primeiros encontros e shows, e, anos depois, como uma de suas principais protagonistas. Foi aluna e depois professora da famosa Academia de Violão de Roberto Menescal e Carlos Lyra, seus grandes mestres e padrinhos musicais.

Seu disco de estreia “Wanda Vagamente” (1964) é uma referência marcante até os dias de hoje nos quesitos estética (a capa do disco é sensacional, tem a cara e a alma da Bossa Nova) e também no musical.

Neste disco de 2016 ela traz no repertório várias declarações de amor ao Rio de Janeiro, que é uma cidade musical por natureza. Talvez por suas lindas e inspiradas paisagens e também por uma musicalidade à flor da pele, que encontramos a cada esquina da cidade.

O disco teve as participações especiais de Ivan Lins, Roberto Menescal, Ricardo Silveira, Nelson Faria, Eloi Vicente, Quarteto do Rio e Chico Batera. E também dos seus fiéis escudeiros Adriano Giffoni e Zeca Assumpção no contrabaixo, João Cortez na bateria, Adriano Souza e Alfredo Cardim no piano.

Destaque para as composições inéditas “Em Tempo, Eu Te Amo”, de Carlos Lyra, a faixa título “Cá Entre Nós”, de Roberto Menescal/ Wanda Sá e “Uma Simples Canção” de Ivan Lins/Nelson Motta. O tema “Entardecendo” de João Donato/Marcos Valle, gravado pela primeira vez com a letra na bela voz de Wanda Sá.

Os temas “Rio de Maio”, “Samba Pequeno”, “Fotografia” e “The Nearness Of You” também ganharam versões muito marcantes e inspiradas. Dona de uma voz maravilhosa e uma levada no violão apaixonante, Wanda Sá mostra vigor e sentimento nas suas interpretações, no repertório muito bem equilibrado, que prestigia o cancioneiro da Bossa Nova.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja Também